17/05/2013

JÁ FAZ UM ANO QUE A BEATRIZ CHEGOU!

Oi, pessoal, tudo bem?

Desde o nascimento do Emanuel não atualizamos o blog das Amigas Grávidas, que agora são mães...mas hoje eu postarei sobre o nascimento da Beatriz, minha filhinha e seu aniversário de um ano para retomar nossas atividades.

BEATRIZ - ABENÇOADA

Nascimento: 08/05/2012
Peso: 3,200 kg
Medida: 48cm

Primeiras horas de vida



Primeiro Aniversário


O tema do aniversário de 1 aninho da Bia foi PIC NIC


Eu fiz toda a decoração e ornamentos da festa. A comidinha foi toda feita pela família
e ficou com gosto e carinho de PICNIC de verdade


Este pote de vidro mostra um cenário de PIC NIC em família e serviu como decoração na mesa


Esta é a foto que foi reproduzida dentro do vidro



Olha quem estava na festinha: Mamãe Lidi e Sarah Café


O Emanuel também foi com a Mamãe Amanda e o Papai Edgar


As mesas foram decoradas com vasos montados com maçãs de verdade e
toppers com fotos dos 12 meses de vida da Bia


O apelido Bia encapado em tecido 
e decoração com apliques de Scrapbook 


Na mesa a cesta de PICNIC levava as lembrancinhas dos bebês (carimbos de frutas com o nome personalizado + papinha de frutas + gelatina) e das crianças maiores (carimbos e guloseimas deliciosas). As maçãs de plástico levavam a lembrancinhas dos adultos: CUPCAKES.


Na hora do parabéns ela não chorou...mas achou tudo muito estranho


Agora nossa família está assim: completa




 Espero que tenham gostado...


Lu e Bia



23/04/2012

Ele chegou: Emanuel

Bom, gente, como a Amanda está muito ocupada cuidando do Emanuel, eu tomei a liberdade de publicar as primeiras fotos do primeiro bebê dessa amizade a chegar.

EMANUEL - DEUS CONOSCO

Primeiras horas de vida...


Amanda no hospital com a Lidi segurando o Emanuel e a Sarinha na barriga


Amanda, Lu, Beatriz e Emanuel muito dorminhoco...


Me perguntaram se agora que o Emanuel nasceu a Amanda seria cortada da listinha de amigas grávidas...kkkkk, claro que não...estamos começando outra etapa, né, amiga...de GRÁVIDAS para MÃES e teremos muito o que contar para vocês ainda. Sem falar que tem mais duas grávidas nesse blog, ainda....rs*****

Bjinhos - Lu e Bia

30/03/2012

Quartos: Antes e Depois

Queremos mostrar para vocês a transformação dos quartinhos dos bebês. Precisava mesmo de um novo membro na família para nós fazermos uma mudança tão radical. A parte lúdica da casa fica bem aqui:

Quarto da Sarah

Antes
Antes - Esta era toda a bagunça que estava no guarda-roupa antes de tirarmos tudo...



Depois

Mas o resultado valeu muito a pena... Sabemos que Deus nos ajudará a pagar cada realzinho que foi investido para a nossa princesinha. Obrigada, Senhor, pelos presentes!!!


Quarto do Emanuel

Antes 


E acreditem, isso não foi o pior que esse quarto já esteve, mas infelizmente, ou felizmente, não temos fotos!!!


Depois



Quarto da Beatriz

Antes

O quarto era de menino, pois o antigo dono tinha dois filhos. O tema era fundo do mar...nós levamos as figuras mais para a superfície e mudamos para OVELHA.

Depois



Bjs das mamães...

06/03/2012

Hora do Banho: Balde ou Banheira?

Por diferentes razões nós escolhemos usar balde e banheira para nossos bebês.

A Amanda escolheu a banheira com trocador por que eu acho mais prático e até mais afetuoso. Nada contra o balde, eu até ganhei um, mas vou mesmo usar a banheira. Como método de prevenção da cólica, eu vou evitar alguns tipos de alimentos, refrigerante etc... porém, como disse uma enfermeira para mim, criança que tiver que ter cólica vai ter, não tem jeito, pode fazer o que for, cólica faz parte! Não que eu não vá me importar com isso, mas já procuro encarar de forma natural essa fase. Além do mais, não gosto muito da posição dos babies no balde! Para mim, a banheira é tudo de fofo!!!! A minha então, de girafa, a coisa mais linda!! hehehehe
Ah, claro, vou usar o meu baldinho para refrescar o neném em dias super quentes aqui em Itu!!! Ele é muito bonitinho e também não deve ser desperdiçado!


A Lu e a Lidi o baldinho, por questão de espaço e as promessas de que deixa o bebê mais relaxado e ajuda com as cólicas.

Encontramos essa reportagem da Folha falando sobre o baldinho, com recomendações de pediatras, além disso, queríamos mostrar a foto do Tobin, sobrinho da Lu, em seu banho de baldinho, na Irlanda, todo feliz e relaxado e a foto da Samanta, filha de um casal de amigos (Lidiane e Luiz) com carinha de quem está amando... - para mostrar que eles gostam mesmo!

Tobin


Samanta

21/11/2008 - 12h36

Mães aderem ao banho de balde para recém-nascidos



RACHEL BOTELHO
da Folha de S.Paulo







Banho de balde não é nenhuma novidade -muitas mães costumam apelar a ele para fazer a higiene de crianças pequenas durante viagens e nos dias de muito calor, na ausência de piscina. Mas o uso diário do acessório, como substituto definitivo da banheira e com bebês que mal saíram da maternidade, está começando a conquistar adeptos em famílias ainda mais criativas.
A atriz Talitha Pereira, 25, mãe de Lis, de um mês e meio, achou graça quando se viu diante da foto de um bebê dentro do balde enquanto navegava na internet. "Mas depois assisti à palestra de um pediatra que ensinava a usá-lo e vi que o bebê se sente mais confortável ali. Me convenci de que é a melhor maneira de dar banho", afirma. Segundo ela, no quinto dia de vida a pequena Lis já dava pulinhos durante o banho, o que lhe garantiu o apelido de "bailarina de balde".
Marlene Bergamo/Folha Imagem
Lis Pereira Geimer, de um mês e meio, toma banho em um balde comprado na rua 25 de Março, centro de comércio popular em SP
Lis Pereira Geimer, de um mês e meio, toma banho em um balde comprado na rua 25 de Março, centro de comércio popular em SP
Estripulias à parte, o que está atraindo as mães para o acessório é a promessa de um bebê mais tranqüilo, propagada em sites de relacionamento e listas de discussão na internet. "À noite, dou o banho e ela dorme durante horas", confirma.
Embora não haja pesquisas que comprovem esse benefício, a neonatologista Miriam Rika, do hospital e maternidade São Luiz, diz que os médicos observam uma boa resposta ao banho de imersão na UTI pediátrica, onde foi instituído há cerca de seis anos. "Existem várias hipóteses: pode ser devido à posição em que o bebê fica ou pelo fato de estar submerso do pescoço para baixo."
Intrauterino
Para o obstetra Antonio Júlio Barbosa, do hospital e maternidade Santa Catarina, a principal vantagem desse tipo de banho em relação ao de banheira é que o bebê "se molda" ao acessório. "Ele tem mais contato com a água, o que mimetiza o meio intrauterino, que é o que se deseja quando o bebê acabou de nascer", afirma.
O neonatologista Carlos Eduardo Corrêa, que apresentou a "técnica" a Talitha Pereira, indica o balde para o banho da maternidade e para os primeiros dias de vida do bebê.
"Acho que fica mais fácil para os pais segurarem, e a criança chora menos. Faço o banho com o bebê enrolado em um pano, na água quente", diz.
O médico afirma que, por volta dos sete meses, quando a criança começa a querer ficar em pé, o balde é mais seguro do que a banheira.
A arquiteta Roselene Araújo, 44, mãe de Beatriz, 10, Heloísa, 9, e Isabela, 7, tem experiência de sobra com o utensílio --sua primogênita tomou banho de balde desde os primeiros dias até os seis anos de idade.
Durante a gestação de Heloísa, Roselene trocou o balde pela TummyTub, que descobriu na internet. O modelo, desenvolvido na Holanda especialmente para bebês de até seis meses de vida, precisou ser importado.
Muito semelhante a um balde, a TummyTub é transparente e possui alguns itens de segurança, como base antiderrapante e um centro de gravidade que ajuda a evitar acidentes. A desvantagem é o preço. Enquanto o balde comum custa menos de R$ 15, o de grife pode ser encontrado em lojas de artigos infantis por até R$ 140.
Mesmo com tanta diferença, as opiniões das mães se dividem. Para Talitha, trata-se basicamente do apelo da marca. Já Roselene considera a TummyTub muito superior ao balde comum. "Não acho que é a mesma coisa. Ele tem um desenho adaptado e uma borracha embaixo que evita o tombo", afirma. "Crianças maiores já não podem ir no balde."
Embora bebês pequenos como Lis consigam ficar sem apoio no balde por um tempo, o ideal é suspendê-los com as mãos pela região axilar.
No YouTube, há vídeos que mostram os pais segurando seus filhos pelo pescoço. De tão relaxados, alguns pegam no sono ali mesmo.

28/02/2012

Dicas de decoração

Existem dois momentos em que "Decorar" é tudo de bom: quando nos casamos e montamos nossa casa e quando bate a "síndrome do ninho" e começamos a transformar aquele quartinho de bagunça no canto mais encantado da casa: o quarto do bebê.

Aqui vamos falar sobre como estamos decorando os quartinhos.

Amanda e Edgar - quarto do Emanuel


Realmente, existem dois momentos em que decorar é tudo de bom, quando casamos, e quando temos nossos filhinhos, porém é época de gastos sem fim em que você acha que não vai dar mais, mas o Senhor Jesus, claro, sempre entra com a provisão e, de alguma forma, supri as necessidades e os nossos desejos também! Afinal, Ele tem prazer em nos abençoar. Então, minha dica é ore e se programe bem para essas ocasiões! As demais coisas, Deus cuida!!! Bom, como já tinha falado antes, escolhemos o tema da Arca de Noé, e hoje vejo que foi uma boa escolha, afinal, no próximo filho, que em breve virá, se Deus quiser, pois esse é o desejo do coração da minha família, já ta quase tudo pronto! hehehehe
Bom, só posso dizer que fomos muito abençoados, ganhamos muitas coisas como a bolsa, a banheira, o carrinho, o bebê conforto, o enfeite de porta, coisas que são pesadas no orçamento, mas aquilo que não ganhamos, Deus permitiu que comprássemos do nosso gosto, talvez tivemos que fazer uns reajustes, mas não foi nada que entristeceu o nosso coração.
Para escolhermos os móveis, oramos, pois não queria algo barato, porém que não fosse de qualidade, mas Deus nos mostrou aquilo que cabia no nosso bolso e com boa qualidade! Isso foi uma benção! Eu pedia para Deus não deixar a gente comprar nada se na loja do lado, tivesse algo tão bom e mais barato!! E assim Ele fez! O quarto está muito de bebê e não vejo a hora dele chegar!!!! O que realmente é necessário para a chegada do Emanuel já está pronto... mas claro que faltam alguns detalhes como, porta treco, kit higiene,  enfim... esses detalhes que vão se resolvendo a cada dia!
Aliás, até na cortina Deus abençoou, pois eu pedia para o Senhor uma cortina que tivesse a ver com o tema e procurando em uma loja, achei uma cortina com um barquinho (arca). Fiquei super feliz e pude ver Deus cuidando dos detalhes!
E para quem quer saber onde Deus nos levou para sermos tão abençoados, seguem as dicas:

os móveis compramos da Carolina Baby, em uma loja aqui em Itu chamada Esplanada Móveis. Esses móveis são de boa qualidade e recomendo que faça pesquisa, pois os preços são bem variados.




Nesses três móveis, gastamos R$ 1.290,00, daí você deve estar pensando, nossa, isso não pode ter qualidade. Mas eu digo que pensei a mesma coisa, e por isso orei. Então fomos em uma loja, que não sabíamos, mas tinha a Carolina Baby, com preço mais elevado, mas também outros móveis com nome mais conhecido pela sua qualidade, portanto preço ainda mais elevado, e perguntei para vendedora a diferença entre eles e a mesma me disse que os dois fabricantes passam pelos mesmos testes do inmetro, aliás, essa dica também é importante, nós não compramos nada de marcas caríssimas, mas sempre procurando o selo de inmetro em cada item, isso é essencial! Bom, voltando, a vendedora disse que os dois fabricantes passam pelos mesmos testes de qualidade e resistência, só que o outro fabricante tem o designer diferente e mais moderno, então olhamos um e outro, e sinceramente, para nós não teve grande diferença, nem grande e nem pequena, ela falou de umas voltinhas a mais no berço, que sinceramente, não me importei, daí não tive dúvidas de onde compraria e qual compraria.  Olha o Senhor Deus respondendo as orações!!! Os puxadores eu comprei também em Itu, em uma loja de quarto infantil e enxoval, onde eu também comprei a banheira, na verdade, eu ganhei, mas achei um bom preço aqui em Itu, pasmem! E olhem que linda!! Amo girafa!!!


Alguns outros objetos de decoração eu comprei em uma loja em Porto Feliz, que não é tão cara assim, tem coisas que encontramos em um preço bem legal, compramos lá quadrinhos, canguru, a prateleira, a faixinha do quarto e também uma espuminha para carrinho de bebê e bebê conforto.


Gente, além do mais, fomos até o Brás!!! Vale muito a pena, mas ainda assim, meu marido e eu entramos em muitas lojas, já com a lista do enxoval, marcamos os preços de todas as coisas, depois sentamos, comemos e fizemos um levantamento das lojas mais baratas e do que tinha de mais barato nas mesmas. Acabamos comprando poltrona em uma loja (Rita Baby), berço móvel (pois moramos em Itu e por isso viajamos muito para vermos amigos e famílias), carrinho de passeio e cortina em outra (bebê do Brás); lençol, coberta, almofada de amamentação, cabides, que aliás, pagamos em 3 cabides, R$ 7,00, em outra (Bebê magazine), móbile e lingeries pós parto em outra, essa que é a única que não me lembro o nome, mas quando eu lembrar eu posto. Até camisola e pijama para mim eu comprei lá e não paguei mais de R$ 30,00 nas peças, que são ótimas, a loja é a Durma Linda. 
Para ir ao Brás, mesmo que você já tenha em mente tudo o que quer, vá lá com calma e paciência, pois por mais que as dicas estejam aí, é bom pesquisar, vai que você encontra alguma promoção!! Se você está grávida,  se possível, vá em um dia de frio, pois acredite, você sentirá calor!!! E, também não espere estar com a gravidez muito avançada para isso, procure ir entre o sexto e inicio do sétimo mês onde andar bastante ainda é possível!!!
Pessoal, eu sei que foi tudo uma benção, estamos muito felizes com tudo e como eu não tenho habilidades manuais como minha amiga amada Luciana, a mentora desse blog, eu fiquei feliz com o resultado da minha pesquisa. Recomendo que pesquise também!!! É possível achar coisas boas e baratas, claro que não a preço de banana, mas não tenha preguiça, vai atrás, é gostoso, é um momento único! Não pare em uma loja só, você poderá fazer grandes negócios. Creio que eu tirei essa experiência para a vida toda, em todas as circunstâncias, pois confesso que eu não sabia fazer isso, parava em uma só e saia comprando tudo, depois não entendia porque eu não fazia bons negócios!

Segue algumas outras fotos do quarto, quase pronto, faltando algumas coisas ainda, mas já é uma prévia de como ficará:












Como vocês puderam notar, as cores ficaram bem misturadinhas também, não quis uma cor padrão para o quarto, porém ficaram harmoniosas e alegres!! E, para vocês verem que realmente vale a pena, posso dizer que tudo que tivemos que comprar, incluindo móveis, pijamas, camisolas e lingeries, enfim, tudo que compramos tivemos, até o momento, o gasto de mais ou menos R$ 4.000,00. Vale a pena ou não vale orar e pesquisar???? 

Queridos, fora toda essa dedicação para pesquisar, correr atrás do melhor preço e orar para que Deus os abençoe nisso, é também preciso dedicação para montar o quartinho, pois meu maridão, o pai da criança, entrou duas madrugadas pintando e colocando a faixa no quarto!!


                                                                         rsrsrsrs!!

Ah, e fotografem tudo, pois independente de terem um blog ou não, vocês vão poder se divertir juntos depois, já com o filhinho de vocês!


Pessoal, antes desse post ser publicado, tiveram novas alterações e claro, novos esforços!!! Seguem fotos!!


                                          Papai como sempre trabalhando no quarto do filhote!!
                              Aqui já com a cortina colocada e o quartinho que irá também para a maternidade
                                             E a prateleira que em breve irá um porta treco!!

Depois, postarei mais fotos de como o quarto vai ficar 100% pronto de como vai receber o baby!

Até o próximo posto!

Beijos, Mandy.
Lidiane e Dimas - quarto da Sarah

Nós fomos muito abençoados com relação ao quartinho do bebê, não porque ganhamos ou não precisamos comprar nada, mas porque meu marido conseguiu um novo emprego e com isso a possibilidade de comprarmos os móveis como gostaríamos. Como disse no post sobre o tema, eu sempre quis a decoração branca e vermelha, mas meu marido queria que os móveis tivessem marfim também. Ele venceu! Conseguimos uma ótima promoção com estas cores e com isto o sonho dos dois entrou em cena.
Esta é a foto do quartinho que adquirimos...


... mas é claro que a decoração ficou com branco e vermelho...rs...
Tudo o que eu tinha no "quarto da bagunça" precisou ser substituído para virar o quarto do bebê, afinal, quando eu casei eu já tinha reaproveitado tudo o que eu pude para meu novo lar e isto fez com que as coisas não aguentassem novas modificações.
Bem, então é isso... quando Deus nos abençoa, nossos sonhos se tornam possíveis... Esperamos que em breve nós possamos colocar as fotos do quarto já prontinho.

Luciana e Fernando - quarto da Beatriz


"Por enquanto não precisamos comprar nada para o quarto da Bia. Na verdade, quando compramos o apto o quarto já tinha armário embutido na cor Marfim Linheiro e antes da gravidez tínhamos adquirido uma bicama para uso de nossos familiares que nos visitam. Como nós ganhamos um berço branco ficamos preocupados com as cores dos móveis, pois não iriam combinar. Até que eu encontrei a foto abaixo na internet e com isso tivemos a solução de um problema e uma ideia:



Este quarto é branco e marfim. Decidimos então misturar as duas cores no quarto da Beatriz, pois vimos que uma não interfere na outra.

A mesinha à esquerda da foto nos chamou atenção, pois no quarto da Beatriz não caberá uma cômoda, mas por pura "coincidência" eu tinha uma mesinha exatamente desse estilo, feita pelo meu avô que era marceneiro e permanecia na casa da minha mãe, no interior. Ela me foi deixada de herança após a morte dele (na verdade eu exigi a mesinha como herança para meu tio e minha mãe), mas eu não tinha onde colocar em meu apto.




Mesinha feita pelo meu avô João - pecinha
cobiçada pela família...mas é MINHAAAAA! RS****



Decidimos reformá-la ao estilo da foto anterior e colocar no quarto da Beatriz combinando com a composição de marfim e branco. Como podem ver não está reformada ainda. Mas ela receberá uma pátina básica para ganhar moldes de mesinha nova. Além da Bia ganhar um móvel feito por seu bisavô, ela já terá uma mesinha para desenhar e, posteriormente, estudar.

Minha dica para a decoração do quarto é: SE POSSÍVEL, aproveite o que você tem em casa. Reforme, reutilize gastando o mínimo possível.

Quando o quarto estiver pronto postarei a foto - Bjs da Lu"

21/02/2012

Fraldas Descartáveis versus Laváveis

Com que fralda eu vou?

Sei que parece loucura, mas existem pessoas que por motivos de saúde e ecológicos voltaram a adotar fraldas laváveis para seus bebês.

Quais as vantagens e desvantagens? Como elas são? Onde comprar?

E por quê estamos falando sobre isso?

Veja agora:

"Fraldas Laváveis, sim" - por Luciana


"Eu não fazia ideia que ainda existiam fraldas de pano até ir para a Irlanda e ver a Carla, aos 5 meses de gravidez, comprando um mega kit de fralda lavável para o Eli. Até aí, não conhecia a funcionalidade. Quando ela veio ao Brasil em 2010 trouxe uma malinha dessas fraldas e eu pude testá-las no Eli, que já era usuário desde recém-nascido. Eu escolhi usar fraldas laváveis na Beatriz por inúmeros motivos, vou citar alguns e mostrar alguns modelos da loja que decidi adquirir, a baby slings (http://www.lojababyslings.com.br/) - também conhecida como Fralda Bonita, da querida Bettina Lauterbach.


Fraldinha de pano



  • Em primeiro lugar o fato da fralda ser 100% algodão chamou nossa atenção por oferecer mais conforto e deixar a pele do bebê respirar, diminuindo a incidência de assaduras, uma vez que a fralda descartável, além de "drenar" o xixi, também tira a umidade natural da pele do bebê - o gel usado nessas fraldas é derivado de petróleo. Além disso, as fraldas descartáveis possuem diversas substâncias que podem causar alergias, como perfumes e o plástico que causam dermatite.
  • O uso de 40 fraldas laváveis ao longo de 2 anos (do nascimento até o desfralde) contrapondo 5500 fraldas descartáveis no mesmo período fez com que pensássemos na maneira como iremos contribuir para o futuro do nosso planeta e da Beatriz, uma vez que algodão é biodegradável e as fraldas descartáveis levam 450 anos para se decompor.
  • Muitas pessoas questionam a quantidade de água que se gastará para lavar as fraldas, mas estudos indicaram que gasta-se mais produzindo fraldas descartáveis (cerca de 124 m³) do que para lavar as fraldas (por volta de 84m³).
  • Outro fator foi o financeiro. Com esse sistema estaremos economizando cerca de R$ 3.000,00 em fraldas.
  • Como a criança está acostumada com a umidade da fralda, o desfralde torna-se um pouco mais fácil, uma vez que aprenderá a não querer sentir aquele molhadinho incomodo e avisará a hora de fazer xixi.

Fraldas estilosas e ecológicas que a Bia irá usar


Muitas pessoas tentaram nos desencorajar, mas o fato de estarmos num país quente e que oferece condições de secagem rápida, além dos benefícios citados acima, nos fizeram mergulhar de cabeça nessa ideia. Afinal, no "mundo" de adaptações que farei em minha vida com a chegada da Beatriz, por que não adicionar mais uma? Nós oramos sobre isso e nos sentimos muito seguros em nossa decisão, além de buscar informações e assistir vídeos de pessoas que adotaram o sistema e estão plenamente felizes.

O número de fraldas usadas é o mesmo que a descartável, só precisaremos lavar as fraldas usadas no  fim do dia. Diferente das fraldas descartáveis em que muitos pais só trocam se tiver "resíduo sólido", pois deixam até duas rodadas de xixi acumularem no gel "supersec" (o que dizem não ser um problema), com as fraldas laváveis a troca é necessária - o que mantém o bebê sempre limpinho.

Na Europa e América do Norte esse sistema é muito utilizado. Se nesses países onde o frio é constante os pais conseguem conviver bem com a lavagem de fraldas, por que não conseguiríamos aqui?

No site que eu indiquei há mais informações e modelos. 

Este vídeo é uma reportagem sobre as fraldas com depoimento de mães e indicação de pediatra...







"Fraldas Laváveis, não!" - por Lidiane


Nunca nem se sequer imaginei a questão fraldas laváveis desde que era criança, mas com o grande conhecimento que a Lu possui sobre o assunto, fiquei curiosa e decidi saber um pouco mais.
Gostei muito de todos os argumentos que ela me deu e o design das fraldas são lindíssimos, mas quando comecei a pensar sobre o assunto, percebi que não faziam parte do meu perfil.
Por ser professora, vou ter a oportunidade de fazer dois chás de bebê e todos os meus amigos professores que já tiveram esta experiência, disseram que nós ganhamos fraldas para um ano. Portanto, os gastos que eu terei com fraldas serão menores ou iguais se eu optasse por fraldas laváveis. Quando contabilizo os gastos, penso também no sabão e óleos essenciais necessários para lavar as fraldas e sem contar no meu tempo que terei que disponibilizar, afinal, como dizem, tempo é dinheiro...kkkkk
Sei que pelo meio ambiente seria maravilhoso, mas eu também não disponibilizo de um espaço suficiente para secar fraldas e roupinhas e, por morar em apartamento, na época de frio terei que utilizar uma secadora, que me trará mais gastos.
Outra coisa que levei em consideração foi o fato de que as fraldas laváveis não seguram o xixi por muito tempo e por isso, se minha bebê dormir uma noite inteira, eu teria que utilizar fraldas descartáveis, pois senão teríamos vazamento diários.
Concluindo, sinto orgulho de minhas amigas que optam por este recurso, mas não tenho vergonha de dizer que fraldas laváveis, para mim, não!!!!


"Fraldas Laváveis, talvez!" - por Amanda


Gente, eu fico muito na dúvida entre a razão e o coração. O coração quer usá-las e concorda 100% com a Lu, já a razão fica em dúvida, afinal, é muita adaptação. Meu marido não teria dúvida em adotar as laváveis,  mas me deixou a vontade, então vou seguir a própria sugestão da Lu, vou usar as duas, e vamos ver se eu consigo me adaptar. O processo será assim: um dia descartável, um dia lavável. Bom, é só isso que tenho a dizer sobre isso... depois conto para vocês como foram as duas experiências!! 

14/02/2012

VISITAS: o local e a hora de recebê-las

Visitas: Devemos receber a vontade? Em casa ou no hospital? Podemos falar que não estamos dispostas? E como falar?

Enfim, o que vocês acham desse momento que para alguns são tão tranquilos e para outros, mais críticos?








Para mim, Amanda, mãe do Emanuel, esse momento deve ser encarado com muita tranquilidade e segurança. Tenho ouvido muitas opiniões para essa hora, alguns dizem que é bom receber em casa, porque os pais já se sentem mais a vontade, outros dizem que no hospital é melhor, afinal, a visita acaba sendo mais rápida, outros dizem que até preferiram ficar na enfermaria, porque receberam poucas pessoas e ficaram mais tranquilos, pois nessa hora, o que se mais deseja é descansar!!  Bom, enfim, acho que tudo isso é muito pessoal, vai de cada um e também cada opinião e decisão deve ser respeitada, porém, para mim, que gosto de receber visitas, estar sempre com muita gente perto, quero receber muitas pessoas no hospital, na casa da minha mãe, onde ficarei uma semana, e até na minha casa em Itu vou ter muito gosto e alegria de receber meus amigos que quiserem me prestigiar conhecendo minha nova cidade, minha nova casa e principalmente, conhecer meu filho! Agora, quem não quiser ou não poder fazer uma viagenzinha bacana, embora eu espero que todos queiram e possam, se apressem em irem ao hospital e na casa da minha mãe que fica em Santo André!!! Mais fácil né?!! Mas o que eu quero, é ver todos os meus queridos lá, mesmo que eu durma em alguns momentos! hehehehehe Bom pessoal, da minha parte, é isso que eu penso e espero das visitas!




Eu, Luciana, acho isso muito relativo. Acho que deve-se ter bom senso nesse momento. Se a pessoa sabe que é um momento em que a mãe precisa de descanso e intimidade para adaptar-se ao bebê, deve esperar para fazer visita, até por que os novos pais estarão confusos demais para dar atenção devida e dispor de hospitalidade adequada. Digo isso por experiência: fui extremamente inconveniente quando minha sobrinha nasceu. Minha cunhada estava cansada, meu irmão idem e eu insisti em ir ao hospital vê-los, mesmo notando que queriam ficar a sós. Fui a última visita do dia. Depois pensei como fui insensível. Mas é uma questão cultural: no Brasil quando uma criança nasce A FAMÍLIA INTEIRA quer estar presente no hospital neste primeiro dia. Em outros países esse costume não é compartilhado e digo até que quando não querem visitas eles colocam um aviso na porta dispensando os interessados. E isso não é visto como grosseria, mas é comum. Qual a chance de eu colocar na porta do meu apto: "não estamos recebendo visitas por estarmos com um recém-nascido" e todo mundo achar normal e educado? Nenhuma. Ou então: "não toque a campainha, pois há um bebê dormindo" - como pediu meu cunhado que eu fizesse uma vez aqui em casa, quando o Eli estava no Brasil? Tive que explicar que aqui era diferente. Se eu coloco um papel desses estarei convidando a pessoa a tocar a campainha só de sacanagem. Não estou dizendo que não gosto e não quero receber visitas, mas acredito que o bom senso - tanto nosso quanto dos visitantes - deve ser pensado. Espero receber visitas em casa, onde estarei mais acomodada e poderei mostrar aos meus amigos o que eu e o Fernando preparamos para a Beatriz. Como ficarei em quarto coletivo, não sei como funciona as visitas no hospital, mas espero não ter que ficar muito tempo por lá. 




Esta questão das visitas sempre pareceu muito resolvida para mim, Lidiane, até..... ficar grávida!!!!
Eu sempre achei que não era muito legal ir visitar a mamãe logo após o bebê nascer, afinal, ela estaria cansada e se sentindo "feia" (era o que eu pensava), então, na maior parte das vezes, eu esperava ela chegar em casa para ir visitá-los; e como a própria Lu disse, aproveitava para visitar o quarto do recém chegado.
Mas a Amanda me disse uma vez que ouviu dizer que receber visitas na maternidade era bom, pois como a mãe estava cansada, sempre tinha alguém disponível para ajudá-la e dar atenção às visitas, enquanto em casa era tudo por conta própria. Por isso fiquei na dúvida: o que será que realmente é bom?
Portanto acho que tenho que dizer como a Lu, desde que tenha bom senso, não vai haver problema nenhum em receber os queridos amigos na maternidade ou em  minha própria casa, pois o importante vai ser comemorar com todo mundo a chegada deste importante presente que Deus está dando para todos nós.